Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram
  • Ricardo Adriano do Nascimento

Mais jovens estão sendo internados nos EUA por causa de nova cepa dominante



Antes conhecida só como uma variante misteriosa do coronavírus detectada pela primeira vez no Reino Unido, a cepa B.1.1.7 é agora a mais prevalente nos EUA. E, diferentemente da cepa original do coronavírus, a B.1.1.7, mais contagiosa, está atingindo os jovens de maneira bem mais forte.
“Os casos de Covid-19 e as consultas no pronto-socorro aumentaram”, disse a doutora Rochelle Walensky, diretora dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDCs) dos Estados Unidos. “Há aumentos em adultos jovens, a maioria deles ainda não vacinados”.
Os médicos contam que muitos jovens estão sofrendo complicações da Covid-19 que não esperavam. Portanto, é hora de abandonar a crença de que apenas adultos mais velhos ou pessoas com doenças pré-existentes correm o risco de contrair Covid-19 grave.
Por que a B.1.1.7 é mais contagiosa
Os vírus sofrem mutações o tempo todo, e a maioria das mutações não é muito importante. Mas, se elas forem significativas, podem levar a novas variantes perigosas.
“A variante B.1.1.7 tem mutações que permitem que ela se ligue mais” às células, explicou o doutor Jonathan Reiner, analista médico da CNN e professor de medicina e cirurgia na Universidade George Washington.
“Pense nessa mutação como algo que torna o vírus mais grudento”. O coronavírus se agarra às células usando suas proteínas spike – os espinhos que cercam a superfície do vírus.
“Há uma pequena diferença na forma como a proteína spike da B.1.1.7 se mantém, o que a faz aderir às células com um pouco mais de facilidade”, disse a médica Megan Ranney, diretora do Brown-Lifespan Center for Digital Health.
1 visualização0 comentário