Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram
  • RAN

Liturgia da Palavra de hoje (15)


Primeira Leitura (1Sm 3,1-10.19-20)


Leitura do Primeiro Livro de Samuel.


Naqueles dias, 1o jovem Samuel servia ao Senhor na presença de Eli. Naquele tempo, a palavra do Senhor era rara e as visões não eram frequentes. 2Aconteceu que, um dia, Eli estava dormindo no seu quarto. Seus olhos começavam a enfraquecer, e já não conseguia enxergar. 3A lâmpada de Deus ainda não se tinha apagado e Samuel estava dormindo no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. 4Então o Senhor chamou: “Samuel, Samuel!” Ele respondeu: “Estou aqui”. 5E correu para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Eli respondeu: “Eu não te chamei. Volta a dormir!” E ele foi deitar-se.

6O Senhor chamou de novo: “Samuel, Samuel!” E Samuel levantou-se, e foi ter com Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Ele respondeu: “Não te chamei, meu filho. Volta a dormir!” 7Samuel ainda não conhecia o Senhor, pois, até então, a palavra do Senhor não se lhe tinha manifestado. 8O Senhor chamou pela terceira vez: “Samuel, Samuel!” Ele levantou-se, foi para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”.

Eli compreendeu que era o Senhor que estava chamando o menino. 9Então disse a Samuel: “Volta a deitar-te e, se alguém te chamar, responderás: ‘Senhor, fala que teu servo escuta!’” E Samuel voltou ao seu lugar para dormir. 10O Senhor veio, pôs-se junto dele e chamou-o como das outras vezes: “Samuel! Samuel!” E ele respondeu: “Fala, que teu servo escuta”. 19Samuel crescia, e o Senhor estava com ele. E não deixava cair por terra nenhuma de suas palavras. 20Todo Israel, desde Dã até Bersabéia, reconheceu que Samuel era um profeta do Senhor.


- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial (Sl 39)


— Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!


— Esperando, esperei no Senhor, e inclinando-se, ouviu meu clamor. É feliz quem a Deus se confia; quem não segue os que adoram os ídolos e se perdem por falsos caminhos.

— Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados. E então eu vos disse: “Eis que venho!”

— Sobre mim está escrito no livro: “Com prazer faço a vossa vontade, guardo em meu coração vossa lei!”.

— Boas novas de vossa justiça anunciei numa grande assembleia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!

Evangelho (Mc 1,29-39)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los. 32À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa. 34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era.

35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”. 38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”. 39E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Homilia

A verdade é que os espíritos malignos estão perturbando o mundo, a nossa vida, as nossas casas e nossas famílias. Os espíritos malignos são perturbadores mesmo. O espírito mau que tomou conta da vida desse homem tirou dele o sentido e a razão de viver.


Se deixarmos os espíritos maus morarem em nós, eles também agirão em nossa vida. Não podemos negar quanta coisa do mal está reinando no meio de nós, porque o espírito do mal não é só aquela possessão diabólica, mas são os sentimentos diabólicos que tomam conta da vida e dos relacionamentos humanos.


Quando não é um sentimento de possessão, as pessoas estão possuindo umas às outras no sentido de posse. O maligno faz mais, porque ele lança o espírito do ciúme, da inveja, da competição, e vai articulando, vai jogando e semeando entre nós discórdias, espírito de disputa, colocando-nos uns contra os outros. Ele semeia a discórdia e a maledicência, por isso estamos falando mal uns dos outros.


O maligno é perturbador na nossa própria mente. Quando deixamos que ele violentamente aja em nós, não conseguimos controlar a nossa ira, a nossa raiva, simplesmente explodimos uns contra os outros, dizemos coisas pesadas.

Precisamos ter autoridade para que o mal não mande em nossa vida

Há bocas que já foram consagradas ao maligno, porque facilmente falam palavrões, palavras feias, palavras torpes, pesadas, palavras de maldição.


Como ele é invocado em palavras tão malditas que saem da boca de muitos de nós! Vemos pais gritando com filhos, e filhos que estão gritando com seus pais. Não podemos deixar que um filho fale alto com seu pai. Um pai e uma mãe não podem fazer da sua casa uma gritaria, onde tudo é resolvido no grito, na pancadaria, porque o maligno quer que a nossa casa seja um inferno.


Quando estou escutando alguém dizer: “A minha vida está um inferno”. Se a sua vida está um inferno, é porque o maligno está fazendo festa dentro de você, perto de você. Nas nossas relações de trabalho e convivência humana, precisamos da autoridade de Jesus para expulsar esses espíritos malignos, inclusive, intimando: “Cala-te. Sai dele”.


Não permitamos que esses espíritos malignos falem em nós, ajam em nós, mas se calem e saiam da nossa vida, ainda que cause um rebuliço e uma violência, como neste homem, mas que sejamos libertos na autoridade de Jesus.


Quem não tem autoridade sobre a sua própria vida, sobre seus sentimentos e pensamentos, não terá autoridade na sua casa, na sua família, em nada que você for empreender. Eles admiravam Jesus, porque Ele ensinava com autoridade, mas Ele tinha autoridade sobre o poder do mal, por isso precisamos ter autoridade, para que o mal não mande em nossa vida.


Deus abençoe você!

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por AsHoras. Orgulhosamente criado com Wix.com