Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram
  • RAN

Hospital de Caraúbas (RN), possui estrutura humana mas não estrutura física de isolamento



O depoimento de uma enfermeira do HRAPS (Hospital Regional Aguinaldo Pereira da Silva, da cidade de Caraúbas (RN) nos reporta do tamanho do esforço da estrutura humana, que esta unidade hospitalar possui e que está empenhada a tentar fazer o mais rápido possível, o que para nós parece ser impossível, arrumar uma transferência a unidade de campanha ao combate do Coronavírus.


As notícias televisivas, em especial o da Rede Globo de Televisão, nos deixam frente a frente a uma zona de terror que pedimos a Deus que não nos coloque e nem coloque aqueles a quem amamos (em especial nossos familiares) e nem tão pouco nossos amigos, em uma situação como o resto do país está enfrentando, vendo seus entes morrerem, sem poderem ser sepultados com dignidade e humanização.


Um segundo caso de COVID-19, registrado em Caraúbas, foi constatado seu estado que necessitava de internamento hospitalar, mas a cidade de Caraúbas não possui estrutura física em sua unidade local e esta é a preocupação de todos os que estão na linha de frente do combate desta pandemia na cidade. Um único caso pode trazer o princípio de caos na unidade hospitalar, pois toda estrutura humana (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistente social, equipe de limpeza, motorista de ambulância, maqueiros e a direção deste hospital) sofrem uma pressão psicológica diante do caso a que estão entregues.


É compreensível neste momento o desespero da família, dos amigos, de lideranças que desejam simplesmente trazer o bem estar ao paciente, mas diante do COVID não se pode tomar qualquer decisão ao seu bel prazer. Seria o desejo de todos nós, mas, é preciso seguir todo o protocolo que demanda a gravidade do caso.


Com uma luta sub-humana da direção do Hospital de Caraúbas, João Bosco Varela, o paciente deveria por naturalidade ser encaminhado ao Hospital Regional Tarcísio Maia, mas a única vaga disponível foi numa unidade na cidade de Caicó preparada para o atendimento desta demanda. Que nos cabe é pedir o restabelecimento do paciente e que o atendimento adequado venha sanar e curar a vida do mesmo.


PREOCUPAÇÃO


A preocupação, que não é apenas do prefeito da cidade, do secretário de saúde, das dezenas de profissionais da saúde de Caraúbas, mas sim, de toda a população caraubense que é de tentar combater ao máximo a luta contra a COVID-19, com o isolamento social, a não aglomeração de pessoas, a utilização de epi's por toda a população, a higienização constante de todas as pessoas, residências e estabelecimentos.


De quem é a culpa por casos confirmados?


Não adianta atribuir culpa a "A", a "B" ou a "C", não se existe culpados em uma cidade com grandes centros urbanos, a dirá uma cidade como Caraúbas, pequena e que tenta possuir o máximo de estrutura para sanar pequenos acometimentos de saúde e tentar o mais breve possível a transferência de pacientes para outras unidades que possuem estruturas diferentes das que mantemos na cidade.

154 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2023 por AsHoras. Orgulhosamente criado com Wix.com